quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Soneto de um Nascimento

Por Cristiano Vicentin


Madrugada silenciosa e fria

Na maternidade se seguia

De repente, um choro irradia

Avisando que um nascimento ocorria


Aos passos que ouvia

Sem pensar me dirigia

Às janelas da enfermaria

Ver o bebê que ora nascia


O sentimento que me invadia

Nem decifrar eu conseguia

Pois ansiedade me consumia


Ao certificar que era Marília

E com saúde ela vivia

A Deus agradecia.

Um comentário:

Marília Vicentin disse...

papai eu adortei te amo muito muito mas muito mesmo e eu sempre vou te amar por toda aminha vida inteirinha e nunca se esquesa que eu te amo muito muito muito mesmo tá papai



PAPAI VOCÊ É DEZ E VOCÊ É UM PAIZÃO
DE SUA QUERIDA E AMADA FILHA MARILIA VICENTIN E EU TENHO ORGULHO DE SER A SUA FILHA E ORGULHO TAMBÉM DE SER UMA DAS VICENTIN

BEIJOS TE AMO MAS QUE TUDO NESSA VIDA VOCE E A MAMAE SAO TUDO PARA MIM.